Estamos prontos para inovar?
By Adriano Accioly

A primeira resposta é SIM! Mas será que sua empresa está realmente pronta para inovar, fazer coisas de maneiras diferentes, surpreendendo seus clientes?

Vamos refletir rapidamente sobre isso.


Primeiro precisamos concluir porque sua empresa precisa mudar. Estão caros? Lentos? Seus clientes começaram a reclamar sistematicamente? Tem concorrentes ágeis ao seu redor? Caso qualquer destas respostas seja "sim", seu processo de mudança, na verdade, já está atrasado!

Isso mesmo. Normalmente quando a necessidade de mudança é muito óbvia, já é tarde demais.


Então além de percorrer as perguntas básicas acima, é fundamental estudar também os caminhos que seu mercado está tomando. Como será o seu comércio daqui 2 anos? E em 5 anos? E o que você pode fazer para ajudar a construir esse futuro mercado?

Essa reflexão, ponderada com informações e dados de seu mercado, ajudará a te posicionar e definir qual estratégia sua empresa deve ter.


Nesse momento sim, é hora de começar a traçar ações, de curto, médio e longo prazo, que te direcionem para a posição de mercado que você deseja ter.


A equipe, que já trabalha ha anos em sua empresa, também precisará compreender a nova estratégia e se engajar na mudança. Não existe como realmente criar algo melhor, que envolva alguém além de você, se essa pessoa não estiver verdadeiramente engajada. Parece óbvio não é? Mas os líderes muitas vezes se esquecem de ouvir seus funcionários e de encorajá-los a testar novas ideias.


Sim, é preciso testar novas ideias. E implementar. E errar rápido! Tentar novamente, com apoio de todo time de gestão, até que se encontre os caminhos.

Porque não existe uma regra única para o sucesso e perfeição no atendimento ao cliente, então o que dará certo para a empresa vizinha não necessariamente será o melhor para vocês. Logo, é necessário sim encorajar seu time para que deem ideias. E para aquelas priorizadas, que sejam implementadas rapidamente.


Nesses momentos de transformação, ter auxilio temporário externo, de consultores sérios e experientes, ajuda a ver os problemas sem filtros ou distorções, e com isso, mais rapidamente vocês começarão a implementar de fato ações que seu cliente perceba e reconheça positivamente. Mas lembre-se que o desafio de transformar não é delegável e não funciona de baixo para cima.


Olhe sempre sua empresa como um todo. Assegure que está ouvindo seu cliente. Identifique rapidamente seus elos fracos e os corrija antes "que venha o entardecer de sua empresa".


Parafraseando Cezar Taurion, "a ideia que apenas parte da empresa pode ser ágil e as demais podem funcionar em ritmos diferentes, mais lentamente, não funciona. A razão é simples: uma perna não pode andar mais rápido que outra. E para se tornar ágil ela precisa pensar como uma empresa ágil, e isso bate de frente com os mindsets, processos e cultura atuais. Ser ágil não é apenas implementar tecnologias e processos ágeis em determinadas áreas da empresa. É transformar por completo as atitudes, processos e mentes da empresa. É transformar sua cultura e modelo de gestão. Sim, sabemos que é um desafio e tanto, mas é essencial para a sobrevivência empresarial. As empresas criadas sob paradigma do século 20 não sobreviverão da mesma forma no século 21. Quais sobreviverão? As que foram mais ágeis em se tornarem ágeis!"


E para você, quais os desafios de conduzir uma transformação?